domingo, 6 de março de 2011

# +%¨**& @ # + =

Eu sou como o vento que bate leve em cada janela.
Quem não tem medo, a deixa entreaberta.
Quem se amedronta, serra portas e janelas.
Eu sou como o orvalho da manhã.
Para os de coração puro,
abrem os braços e recebem seu frescor.
Para os que andam em segredos,
eu molho e encolho seus caminhos,
não apago os seus rastros.
Eu sou vento,
sou orvalho,
sou coração.
Quem me conhece
desconhece a solidão.
Eu posso povoar labirintos.
Posso provocar emoção.
Só sei que vivo dentro de ti.
Mesmo que tente eu não posso me afastar.
Sou seu pensamento,
ou seu tormento.
Você é quem me faz.


texto de remall.

7 comentários:

  1. Oi?! Olha, recebi o seu endereço, já anotei e assim que o carnaval passar, vou ao correio enviar o livro, tá? O seu nome é esse mesmo? A quem devo endereçar?

    ResponderExcluir
  2. Re, é verdade.Belo poema.
    Aqui, tenho um vaso de barro que virou porta guarda-chuva tbm, tava trincado.Adoro lixão...rsrsrsrsr
    Bjs e bom domingo.

    ResponderExcluir
  3. Bom Dia Querida Amiga!!!

    ..."Quem me conhece
    desconhece a solidão"

    Amiga,como é tudo tão lindo o que escreves!!!
    É uma delicia vir aqui...e ver que brinca com as palavras como criança matreira.

    Mil beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oi! Li seu comentário e vim te conhecer! Muito prazer...rs...Lindo poema,viu!?

    Bjs amiga e um ótimo domingo pra vc!

    Alalaôôôôôôõõ...Rs

    ResponderExcluir
  5. Essa menina é muito prendada gente!
    Tem mesmo o dom das palavras.
    Lindo, lindo, lindo.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Querida, obrigada pela atenção.
    Assim que der vou fazer o pedido do rocambole.
    Lindo poema!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Que lindo poema! Gostei muito!

    Beijos

    ResponderExcluir

adoro suas letrinhas combinando com as minhas