sexta-feira, 25 de abril de 2014

como foi o dia

Depois da chuvinha generosa
Da minha felicidade
Da simplicidade da vida
Ontem o dia foi de trabalhar na horta
Não na horta grande, pois não conseguimos ninguém para começar o trabalho
O trabalho mais pesado
Mas na horta da casa
Na horta dos amigos
Na horta das doações
Na hortinha que me envaidece
E sempre morou dentro do meu coração

Foi dia do perfume da terra molhada
Da minhoca saltadeira
Dia de me sentir parte
Dia de me sentir viva
De pegar na terra
De me sentir terra 

  E então não usar o esmalte azul da moda
  Encardir as unhas
  Me entupir de terra
                                           E você se pergunta - porque ela não usa luvas ????
                                           Ah! minha amiga se uso luvas deixo de ser terra
                                           Deixo de me sentir feliz          
                                           E guardo comigo a esperança do esmalte da moda um dia
                                           ser marrom, cor de terra rsrsrs




texto remall
foto remall, horta da Querência

12 comentários:

  1. Que horta linda!!
    Também não planto nada de luva, acho que minhas energias não vão passar pra planta, ahaha
    Bjo amiga, parabéns pelo belo trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto mesmo é de pegar a energia delas hehehehe

      Excluir
  2. Remall Querida,que belezura!!!A terra nos dá vida....estar perto dela e poder tocá-la é um presente divino!!!!bj bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa minha hortinha é minha paixão. Fico toda orgulhosa quando ela está produzindo um pouquinho de tudo. Os passarinhos que estão dando um trabalho danado, destruindo as mudas, picando as folhas e arrancando as mudas de agrião rsrsrs tem hora que a gente chega lá e voa aquele bando. Mas eles não perdem por esperar...vou fazer outro espantalho !

      Excluir
  3. Muito trabalho! Mas essa terra parece ser fértil! Gostei do pormenor do banquinho! E nessa horta grande que ninguém quer trabalhar, pondere colocar árvores de fruto. Dão muito menos trabalho e a satisfação continua a ser muita! Há sempre fruta para dar e vender! (O seu nervo c. agradecia!)
    E qual é a piada de mexer na terra com luvas? Concordo consigo. Não tem nenhuma!
    Bom fim-de-semana! Bj.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem graça e não tem vida. Bom mesmo é enfiar a mão na terra, mexer prá lá e prá cá. O pedaço de terra em que fazemos essa outra horta é muito úmido para fruta. A gente só consegue plantar lá na época da seca. Era um brejo que nós fomos aterrando aos poucos. Mas daqui a pouco vou melhorar mais e vou plantar abóboras, fica mais fácil.

      Excluir
  4. Remall querida.
    Belas palavras, a terra misturada a poesia e os sentimentos que brotam de você e se espalha transbordando em nós.
    Obrigada por seu carinho, eu fico mais feliz quando encontro as suas palavras no meu Delírio da Bruxa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que adoro ir lá te ler Denise, sentimento é com vc mesmo !
      Obrigada pelo carinho de sempre.
      Estou voltando aos poucos pro blog e estou também no face.
      Letrinhas combinadas- remall

      Excluir
  5. REMALL,

    saio daqui com vontade de voltar logo.

    Espetacular o que vi por aqui,diferente de tudo por onde ando,faço e quero.

    Obrigado,por este momento.

    Então serei seu seguidor e quem sabe queira conhecer também os meus blogues?

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volte sempre que desejar, pode ficar por aqui quanto tempo desejar.
      Por aqui as portas vivem escancaradas para quem se aventurar aos
      sentimentos e a minha vida simples do campo.
      Com certeza irei te visitar.

      Excluir
  6. Em tempo,

    só podia ser Beagá.Isso aí é tudo muito lindo!!!

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir

adoro suas letrinhas combinando com as minhas