segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

memórias de uma cachorro - a fuga

Ela chegou e a gente não viu.
Quando demos por conta eles já estavam no portão.
Ei ! mas o que estava errado.
Não ouvimos o barulho da camionete.
Será que estamos surdos ?
Será que eles trocaram de carro ?
Será que também estou ficando velhinho e caduco como meu irmão?
Só fiquei mais calmo quando vi que eles estavam a pé.
E não perdi mais tempo pensando no que poderia ter acontecido.
Eles chegaram, obá! isso é que importa.
Então foi a festa de sempre.
Carinhos, brincadeiras, comidinhas, teve até leite,
afinal, crianças e velhinhos precisam né.
Foram para o galinheiro, horta, frutas,
brinquei com um chinelo velho,já que perdi minha bolinha no açude.
Brinquei na lama com ela.
Mas derrepente eles começaram a entrar e sair.
E isso é sinal que já vão embora.
Mas tão rápido...já chegaram tarde e já vão.
E foi verdade, eles se despediram e saíram.
Acho que era a chuva e o fato de estarem a pé.
Só sei que fiquei inconformado.
E num ato de desespero, depois de muito chorar,
me afastei, peguei distância e ....
pulei a tela.
Segui feito louco, farejando pela lama o cheiro tão familiar
naquela estrada desconhecida.
Só que minha aventura acabou logo,
o vizinho me avistou e gritou para o grandão.
Ele "P" da vida voltou com um pau na mão.
Me restou baixar a cabeça e fazer cara de tadinho.
Quando vi que não ia colar...
sêbo nas canelas para não apanhar.


ps.:  Eles  só estavam indo no lugarejo,
       buscar o carro que ficou parado por causa da festa.
       Eles até dormiram aqui.
       Foi ótimo.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

presente

Ganhei um selinho da minha amiga Cristina do blog Um dia e nada mais.



regrinhas do selo :

 Acho melhor continuar remall , sendo meu nome. Me defino uma pessoa feliz, em busca de mais felicidade. Não cabia mais dentro de mim tantas coisas e resolvi começar a escrever, minha força sempre veio e sempre virá do amor.
Ultimamente tenho me tornado uma pessoa fora do ar, e engraçado que me aconteceu foi que fui para o centro da cidade de carro e voltei de taxi , e esqueci meu carro no estacionamento...

divido minha felicidade presenteando;

Mafalda S - blog a Felicidade é o caminho
An@ - blog Coisas Minhas
Bruxa - blog Sendo bruxa se mistérios
Comandante Luneta - blog Minutos-de-luz

Nem preciso dizer que estou feliz, feliz.
Em dia de oscar , me sinto no tapete vermelho.

coisas do meu quintal

Visita é algo estranho.
Esperamos uma,
e nos aparece outra.
Mas educada como eu sou,
não me restou outra alternativa,
homenageá-lo então !


texto de remall.
foto de remall, quintal da Querência.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

sussurro

Só tenho que agradecer...
mas se tiver que pedir,
peço que me dê saúde.
Pois trabalho sei que aparece,
e quando tiver preguiça ,
sei que sou formiguinha e guardei algo para esses dias.
Segura sempre me sinto,
cuido de mim com carinho ,
e sei que meu anjo da guarda sempre  alerta está.
Ah! meu Deus, só tenho que agradecer,
mas se tiver que pedir,
peço em nome dos outros,
que talvez hoje estejam tristes
e esqueceram mesmo que por pouco tempo ,seu instante de fé.
E continuo a te pedir saúde,
pois sei que com ela chego em qualquer lugar.
E quando chego sempre me preocupo com quem está ao meu lado,
e até com os que não vejo,
sendo que sei que você sempre olha pelo meu olhar.
Então meu Deus eu continuo,
alegre por esse mundo
cativando a quem se deixar sonhar.


texto de remall.
foto de remall, Igreja de São Francisco de Assis em Caeté

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

a lei maior

E então como num passe de mágica a luz branca se tornou insuportável.
Não tremi e nem senti medo.
Apenas deixei passar e entrar.
A paz que se instalou não era conhecida pelos meus arquivos.
Meu coração se aquietou.
A luz oscilava entre o prata e o azul.
Não fazia mais barulho algum.
Silêncio.
O vento frio estava calmo lá fora.
Não havia mais trovão.
A chuva ficou mansa.
O raio que cortou a mata
repicou dentro da sala.
Minhas tomadas pegaram fogo.
Foi um grande susto.

Ainda não me acostumei com tempestades da roça,
com os raios e trovões.
Mas já aprendi a respeitar a lei maior.
Depois da chuva veio o sol.
Nem parecia o mesmo dia.


texto de remall.
foto de remall,na Querência.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

como sou distraída

Lá vai...é só um blog.
Hoje atravesso o mundo,
encontrei amigos perdidos,
fiz novos queridos amigos.
Ganhei conhecimento.
Compartilhei e me encantei.
Continuo não sabendo ao certo sobre novos amigos,
seguidores ou visitantes.
Afinal, o mundo muda a todo instante.
Mas, vão...
As letrinhas combinadas,
unidas umas as outras ,
vão construindo.
Estão soltas no ar.
Distribuem meu propósito de encantar,
com amor, paz e felicidade,
a quem se deixar enfeitiçar.

Lá se foi...um ano de postagem.
Já ia me esquecendo,
pode?
Tenho mais é que comemorar !



texto de remall.
foto de remall, meia noite de 2009/2010 na Querência.

o que me resta

De que  adianta sair feito louca,
se o tempo tem o seu tempo,
e não vai mudar só porque desejo.
De que adianta correr atrás de tudo,
se minhas mãos só conseguem pegar uma coisa de cada vez.
De que adianta querer abraçar o mundo,
se a sua circunferência não me permite esse querer.
De que  adianta me achar a mais importante,
se todos nessa vida tem o seu lugar.
De que adianta tantas coisas,
se só temos um dia de cada vez.
Então calmamente me aquieto,
de tantos quereres adversos.
Paro, respiro, admiro, espero.
Esse dia,
o amanhã,
e o meu querer.
Para daqui a pouco descobrir,
que tudo que quero eu já tenho.
Agora só me resta viver.




texto de remall.
foto de A., Gonçalves - MG

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

som de amor



Vi no blog do Luiz Alvaro, e não resisti.
Boa noite para todos vocês.

que venha

Que venha a luz.
A luz que perdoa.
Que ilumina os segundos do pensamento.
Que envia os quereres da alma.
As falas do coração.
Que venha a luz.
A luz que transforma.
Que ilumina os erros.
Que envia uma nova informação.
E ama,
concede,
invade,
eleva.
Que venha a luz maior.
Compaixão.


texto de remall.
foto de remall, estrada Sabará- Caeté

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

memórias de um cachorro - a teimosia

Tem hora que acho que já sei tudo.
Já me acho crescido e esperto.
Aprendi muita coisa com meu irmão, ele é bom em conselhos.
E ele me ensina coisas importantes sobre sobrevivência.
Isso mesmo, sobrevivência na roça.
Coisas tipo ;
cuidado com cobras, elas matam,
não mexa com ouriço caixeiro, eles tem espinhos doloridos,
não mate passarinho, ela e o grandão te batem,
corra atrás, mas não mate o gambá, eles fedem.
Outras coisas eu aprendi e aprendo fazendo errado
e apanhando ou ficando de castigo na casinha.
Hoje aprendi que tenho que escutar o que ela me diz,
pois ela sabe das coisas.
Não foi falta de aviso :
- não jogue a bolinha no açude, esta furada e vai afundar.
Mas eu jogava e ficava boiando,
e eu pegava sacudia, espirrava água pra tudo que é lado,
e eu tavá me divertindo a bessa.
Só que derrepente eu joguei e não consegui pegar de volta,
tive medo de entrar lá.
Sabe o que aconteceu ? foi afundando devagarinho....
Perdi um tempão do meu dia olhando lá prá dentro,
só via peixe e minha bolinha, nunca mais!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

acabou !

E lá se foi o horário de verão...
Despediu-se em grande estilo.
Uma lua cheia de encher os olhos,
e desacelerar o coração,
pois não existe nada mais calmo,
que ver uma lua boiando na madrugada que vai nos deixando.


Acertem seus relógios.
O horário de Deus voltou...
ainda bem .



texto de remall.
foto de remall, madrugada na cidade.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

entre o silêncio e o barulho

Se me tranco em meu silêncio ,sinto a calma que penetra em meu ser.
Se me solto entre os barulhos, sinto que o coração dispara em busca de outro ser.
Pois no silêncio me sinto segura.
No barulho preciso de outra mão.
Subindo as colinas,  deixo a vista solta  sem as obrigações de nada ver.
Sem as cobranças de entender nada.
O pensamento não precisa pensar nada.
O corpo não precisa fazer nada.
No silêncio me procuro e me encontro.
Me encontro com o íntimo de meu ser.
Mas é no barulho que me ponho alerta.
Alerta dos medos e receios.
Constantes para o crescimento e evolução.
É no barulho,
que os olhos conseguem ver além de qualquer colina.
E as cobranças me fazem cumprir os atos que me tornam gente.
Gente parte desse mundo.
Que vê e necessita do outro.
Mesmo que o outro,
seja o mundo ou seja gente,
ou seja a mais pura doce ou amarga  ilusão.
E nesse duelo preciso dos dois.
Do silêncio e do barulho....


texto de remall.
foto de remall, nas montanhas da Querência.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Começei o dia ganhando selinhos...
e advinhem ?
Terminei o dia  ...ganhando mais um !
Nossa ! que dia feliz.


Essa felicidade me foi dada pela Mafalda S.
 do blog  A Felicidade é o Caminho.
Como presente é bom ganhar e ótimo dar...
presenteio,
An@ do blog Desabafos
Bruxa Misteriosa do blog O Segredo das Bruxas
Tina do blog meu Cantinho na Roça
Roberta Maia do blog Blog Luz
Chica do blog FuXICAndo com as Letras

e o meu pensamento alegria é;
"O riso é eterno, a vida é eterna, a celebração continua....
Você ri, você muda - e alguém mais ri-, mas o riso continua. "
Osho

emoção matinal

De manhã bem cedinho...abri o blog e ganhei dois selinhos.

Ai que emoção !


Bençãos do meu anjo da guarda,
e da Roberta Maia do Blog da Luz.




ainda inocência

Sua lanterninha
ilumina meus caminhos nos momentos de plena escuridão.
Suas asas me protegem de todo mal que possa me alcançar.
Olhos  ternos sempre de vigia.
Na sua nuvenzinha azul plaina e me observa.
Me consola em minhas tristezas.
Sorri para mim nas minhas vitórias.
Meu anjo da guarda
que tenho desde muito pequenininha,
me acompanha,
me guarda,
me protege.

        Amém .

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

preste atenção

Quem  disse para não continuar ?
Continue sendo você mesma.
Continue sorrindo.
Continue sendo boa.
Continue, continue.
Respire fundo e não pare.
Não se importe com quem disse para não continuar.
Seu caminho está aberto.
Ele é seu e te pertence.
Pode dividí-lo ,mas jamais perdê-lo.
Continue na gentileza.
Continue na alegria.
Continue na sua essência.
Continue, continue.
Existe um brilho no fundo do olhar.
No meu, no seu, no do próximo...

como as águas de um rio que nunca voltam e seguem sempre ao seu destino que é o mar...continue, continue.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

cumplicidade

Tenho sentido muita saudade de você nos últimos dias.
Saudade de quando conversavámos sem palavras.
Assuntos de só olhares.
Não tenho para quem fazer certas perguntas.
E você não está aqui para me dar algumas respostas.
Tem coisas que só você agora poderia me lembrar.
Brincadeiras que só a gente sabia brincar.
Aonde  que você esteja,
peça um pouco pra mim...
de paz,
de calma,
de amizades sinceras,
de saúde,
de sua luz.
Brilhe e rebrilhe

Estou aqui embaixo a te contemplar.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

deseje

Em tão pouco tempo a luz!
A luz que ilumina os guerreiros,
que enfrenta as trevas,
vence a batalha e continua pura.
Superior as sombras e transformadora das formas.
Todos querem luz,
mesmo os que escolheram a escuridão,
pois a luz salva,
ilumina,
transcende a unidade,
renova as esperanças.
Em todo o tempo a luz !
Dentro do coração de cada um...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

valentine's day

Hoje não preciso dizer nada....



memórias de um cachorro - a surra

Eles chegaram. Ela e o grandão.
Brincamos, fizemos festa.
Ganhamos as comidinhas do final de semana.
Ela foi andar pelo terreno.
A rotina de sempre.
Passou pelas frutas, comeu algumas,
olhou se ainda tinha figos.
Subiu e foi mexer nas orquídeas, molhou algumas plantas.
Foi na horta e remexeu nas verduras,
disse algo sobre leite nas folhas de mostarda,
afastar as joaninhas que insistem em devora-las.
O grandão estava no galinheiro, chamou, e ela foi.
Depois disso não sei como tudo aconteceu.
Ou melhor eu sei ,pois,  eu senti.
Senti aquela alegria louca ao ver as galinhas de um lado para o outro.
Não entendo porque meu irmão mais velho nem liga.
Senti aquela vontade incontrolável de correr atrás.
Senti algo que é meu instinto e pulei nos patinhos que saíram pela tela.
Eles são tão bonitinhos e fazem barulho quando andam.
Pois é.
Senti que ela veio gritando feito uma louca.
Senti que o tempo ia fechar para o meu lado.
Senti literalmente no lombo quando o grandão me deu uma varada.
Uma só não, várias.
A surra correu solta.
Não adiantou correr na velocidade da luz.
E entendi que , não é que meu irmão mais velho não ligue;
é que ele já aprendeu que não pode.
Fiquei de castigo o resto do dia na casinha.
Emburrado.
Perdi meu dia com ela.
ps.: os patinhos não são lindos ? Eu não tenho culpa ;tenho?!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

para Sonia Guzzi

Eles alegram nossos olhos.
Apuram nossos ouvidos.
Firmam nossas mãos.
Acalmam nossa alma...
Na minha Querência, eles são uma constante do dia a dia.
E me faz acreditar ainda mais que Deus está aqui.

por onde andamos ? eu, você os outros...

O que nos faz ter amigos.
Carisma ? o meio em que vivemos? infância? genética?
Como é ter alguém por perto nas alegrias e nas tristezas,
e poder chamar de amigo?
O que se espera deles?
O que eles esperam de nós?
Indagações de um coração inquieto.
Sempre escuto alguém dizer,
"já não se fazem mais amigos como antigamente".
Será ?
Quantos se perdem pelos caminhos.
Quantos nos deixam por outros caminhos.
Tenho pensado muito sobre isso.
Onde foram parar meus amigos ?
E eu, como amiga,
onde fui parar ?
Quem sabe em um fundo de gaveta,
esquecida ,amarelada e desbotada pelo tempo...
desgastada pela ação e atitudes dos anos.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

saindo do contexto

O calor está insuportável,
mas o amor refresca o corpo.
A mãe pediu pão de batata barôa com passas.
Amor de mãe é incondicional.
Amor de filha para mãe supera o espera crescer da massa  ,
o  sova, sova, sova,
e ainda tem o forno quente.
Aí o maridão aproveitou e pediu empadinha.
O amor dele por mim não tem palavras para descrever.
Meu amor por ele...decidiu que empadinhas de liquidificador eram mais rápidas.

esquisita

Hoje de manhã já fui logo sendo chamada de esquisita.
Sei que tenho coisas estranhas e não entendo muito bem porque sou assim.
Acho que todo mundo deve ter as suas,
uns assumem,
outros não.
Tenho um paladar , digamos exótico.
Gosto de roupas, digamos sem estilo definido.
Tenho amigos, um pouco ecléticos.
E não me decido de como gosto do clima.
Mas, hoje de manhã enquanto tomava banho,
o maridão começou a falar sozinho,
e ele falava viu !
E então fui ver o que era.
E escutei a seguinte frase :
-"Minha lindinha, porque você não pode ser normal como todo mundo;
me explica porque precisa ter tantas escovas de dente e usar todas ao mesmo tempo?"
E ainda complentou :
-"Você é meio esquisita."
E eu não tive resposta,afinal tenho mesmo quatro !
E nem eu mesma  sei o porque.
Acho que é só mais uma das minhas esquisitices.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

porta, janela, telhado

De que uma casa deve ser feita ?
Tijolos ?  Taípa ?  Adobe?  Pau ?  etc,etc,etc
Ela pode ser feita de qualquer coisa.
Importante e permanente é o que colocamos dentro dela.
Pode ser amor ou móveis.
Pode ser amigos ou empregados.
Pode ser tecnologia ou fogão de lenha fumegante.
Lá fora pode ter uma bela placa de benvindos.
Lá dentro cortinas que se levantam ao vento.
Nas varandas, flores de todas as cores.
No quintal, animais e passarinhos.
De que uma casa precisa para ter vida ?
Amores, pessoas, música, paz.
Cafezinho no bule, pão quentinho .
Paninhos limpos, cama quentinha.
Barulhinhos secretos, gargalhadas sinceras.
Uma casa para existir...precisa de um coração.
Precisa ser chamada de lar.
A sua casa tem tudo isso ?



quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

pedras ou rosas ?

Já não mais me dou conta de tudo que perdi nessa vida.
Vida essa, de mão dupla.
Via perigosa ,de velocidade acelerada.
Já perdi amores, amigos ,cabelo, parentes e dentes ( os de leite).
Já perdi até um rim !
Na vida é assim mesmo.
A gente ganha  e perde.
Tudo ao mesmo tempo.
Tudo na mesma vida.
Tem vez que a gente se recupera,  e sorri.
Tem vez que fica gravado, na mágoa que machuca.
Também já não mais me dou conta de quanto  perdi nessa vida.
Já perdi dinheiro, sorrisos,chaves,
dias preciosos em momentos de pura tristeza,
oportunidades únicas em segundos de plena burrice.
Mas nessa vida já ganhei muito.
Muito amor, amigo, dinheiro, sorrisos e abraços.
Presentes de um minuto, gostosos em forma de doce.
Presentes para sempre, em forma de outra oportunidade de viver.
E quantas pessoas já tiveram isso ?
Chances de ganhar e perder.
Chances de conseguir ver.
Cair, levantar e aprender.
Entre pedras e rosas, fico com as duas.

conselho

Não pense duas vezes,
corra para a janela e veja o sol se levantar. 
Abra bem os seus olhos e deixe a claridade entrar.
Afine os seus ouvidos e ouça os pássaros cantar.
Não pense duas vezes,
abra bem os braços e abrace quem passar.
Telefone, procure, mande e-mail para quem você ama,
e diga quanta saudade tem sentido.
Não pense duas vezes,
não deixe a oportunidade passar.
E durante todo o dia,
faça tudo devagar.
Dê sorrisos, diga bom dia !
Seja gentil, olhe em volta,
deixe o carro em casa, caminhe.
Observe quantas borboletas e flores tem em seu caminhar.
E no final do dia,
quando o sol de mansinho vai se deitar.
Não pense duas vezes,
corra para a janela e veja a lua acordar.
Veja Deus em cada estrela.
Agradeça e vá sonhar.

Não pense nunca duas vezes.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

pode acreditar

Hoje me deu a louca;
peguei o carro e fui pra roça.
Passei o dia  fazendo nada.
E me diverti  a beça.

Eu tenho um cachorro que ri.
Mas hoje eu me diverti muito mais que ele.
Agora vou dormir.
Tô cansada, de não fazer nada.

cheiro de mudanças

Sei que tem alguma coisa errada, mas não estou conseguindo entender.
Sei que tenho medo, pois muitas vezes o novo me assusta.
Sei que tenho que mudar, mas não consigo ver direito os meus erros.
Perdida em duvidas, procuro a alegria.
Sorrio para disfarçar o temor.
O suor nas mãos envergonha os cumprimentos.
E os olhos baixos entregam a timidez.
Os anos já vividos as vezes não se traduzem em sabedoria.
E a cartilha da vida nem sempre tem todas as páginas completas.
Durmo e acordo.
Vivo noites e dias.
Sinto  o cheiro de mudanças.
E não me agrada nada.
Não tenho gostado de nada disso.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

incoerências do verão

Não entendo porque um lado de mim insiste em brigar com o outro lado.
Direito e esquerdo nunca entram em um acordo.
E eu fico no meio desses dois.
Tem hora que sou sentimento.
Depois sou pura razão.
Gosto do preto.
Necessito do branco.
Começo a rir.
Lágrimas escorrem sem cerimônia.
Quero paz absoluta.
Ligo o celular.
Saio para caminhar e pensar.
Procuro conhecidos pelas ruas.
Sou destra.
E me viro perfeitamente canhota se precisar.
Que luta constante tem sido desses meus lados.
Acho que é o calor.

em pensamento

O pensamento é algo que não se vê.
O pensamento é algo que se sente.
Não se divide,
pois quando dividimos,
deixa de ser pensamento,
passa a ser algo real.
Será que pensamento se fotografa?

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

memórias de um cachorro - falando de mim

Logo que nasci já descobri que a vida é algo maravilhoso.
Minha mãe nunca tratou a gente com diferença,
tinha leite para todo mundo, eramos nove.
Ela cuidou da gente direitinho.
O dono da casa aos poucos começou a se desfazer da gente,
um a um.
Foi aí que eu a conheci.
Foi amor a primeira vista, ela me pegou nos braços e
foi logo me enchendo de carinhos e amassos.
E eu bem esperto logo me senti em casa,
aliás o tapete dela é o máximo.
Me levou no médico e o tal doutor me apertou todo e
veio já com umas agulhas, que vou dizer viu , doeu.
Mas com o passar do tempo até descobri que o tal doutor é gente boa,
lá sempre tem uns biscoitinhos em forma de osso.
Hummmm! Adoro.
Andava com ela para todo lado;
passear de camionete pra cima e pra baixo não é para qualquer um não!
Só não era bom quando eu não podia entrar nos lugares
e tinha que ficar dentro do carro. 
Lambia todos os vidros e ela ficava brava.
Todo final de semana a gente viajava
e tinha muito espaço para eu brincar e correr,
gastar energia e ficar exausto;
e foi nesse tempo que conheci meu irmão.
Ele é um cara bacana, meio velho, um tanto quanto gordo,
ficou emburrado com minha presença,mas brincava comigo,
mas acho que dava graças à Deus quando eu ia embora.
Quando fiquei maior um pouco, num desses finais de semana,
eu não voltei mais , e fixei residência na casa grande de quintal imenso.
Para desespero do meu irmão eu vim para ficar !
Mas sabe que hoje a gente se dá super bem...tirando o ciúme.